Mostrando postagens com marcador autora. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador autora. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 29 de outubro de 2013

5

"Rei Jeremy, o Perverso" - Prefácio

      Olá Leitores!!
       Esse mes eu tô que tô kkkkk
       Começei a escrever outro livro (sim, minha mente está á mil  kkkk)
       Espero que gostem!!!
 
       Obs:  Esta obra é baseada na musica “Jeremy” da banda Pearl Jam, e não no real garoto Jeremy Wade Delle. Os fatos aqui contados são ficcionais e se eles se assemelham com a realidade do garoto Jeremy ou de alguém que você conhece, é mera coincidência.

“Em casa
Desenhando figuras
De topos de montanhas
Com ele no topo
Sol amarelo limão
Braços erguidos em v
E os mortos estendidos em poças de cor marrom embaixo dele..."
“Jeremy”, Pearl Jam
 
"Rei Jeremy, o Perverso"
Prefácio


           " Jeremy era o Rei. Ele podia sentir.

Ele subia uma montanha num dia claro e muito quente de verão. Haviam pessoas paradas de ambos os lados do caminho formando um corredor para que o garoto passasse e enquanto ele passava elas se curvavam perante ele por que Jeremy era o Rei. Ele sentiu-se esplendido, poderoso, ele se sentiu pleno. As pessoas não tinham rostos, não passavam de criaturas vazias e inúteis. Essas pessoas eram seres inferiores que não mereciam o ar em seus pulmões. Mas não era preciso ter rosto, Jeremy podia saber exatamente o que elas estavam pensando e sentindo: elas o temiam, e isso era glorioso.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

0

Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos - Capitulo 3

       Olá Leitores!!
       Este é o terceiro capitulo da fanfic "Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos" , baseada em Hannibal, a série.
       Este capitulo é mais curto, mais angustiante, e demorei muito para deixar ele bom. Desculpa ai. kkk. Agora vou começar a contar mais sobre Will  e os porquês de tudo isso.
       Obs - Hannibal não é manipulativo, ele só está curioso sobre Will no momento. Ele vai começar a desenvolver um instinto protetor em relação á Will nos proximos capitulos.
      
       Para não se perderem, leiam o Capitulo 1 e o Capitulo 2 .
       Deixem comentários!!!!

"Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos"
Capitulo 3

Hannibal não conseguiu disfarçar seu olhar impressionado com a imagem que via a sua frente. Os dois braços de Will desde o pulso até o antebraço, bem como boa parte de seu peito tinham tatuagens. Numa primeira olhada, ele podia afirmar que algumas eram muito mal feitas, outras bem feitas (provavelmente as feitas por Alana). Will estava visivelmente desconfortável, mudando o peso de uma perna para outra e inconscientemente cobrindo o peito com os braços, abraçando a si mesmo.

Para alguém que tinha Afefobia segundo Alana disse, Will tinha muitas tatuagens, isso não era normal. Era interessante ver que alguém que tinha tamanho medo de ser tocado se deixasse machucar assim. Alana não havia dado detalhes dos “porquês” de Will, mas ele estava mais do que interessado em descobrir.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

2

"Boa Noite, Sam" Capitulo 2

     Olá Leitores, Tudo bem?
     Esse sim é o segundo capitulo de "Boa Noite, Sam". Estou adorando o retorno, está sendo muito bem recebido, por isso, obrigada gente!!!!
     É mais curto, mas é bem corrido. Quentinho, acabei de fazer, aproveitem!!
     Para não se perder, leia antes o Prefácio e o Capitulo 1 da história.


 "Boa Noite, Sam"
Capitulo 2

      
       Sam terminava de colocar a ultima peça de roupa em sua mochila e fechou o zíper com um suspiro. Fora as peças de roupa que estava usando, todas as outras estavam devidamente empacotadas. Ele olhou para as suas poucas coisas já arrumadas em poucas caixas no chão de madeira do quarto e não pode evitar sentir um frio na barriga. Não era justo, simplesmente não era justo. Ele passou a mão pelo seu cabelo negro desarrumando mais ainda seus cachos.

       Sam sentiu que sua respiração estava se acelerando outra vez e fez um esforço para se acalmar. Sentou-se na cama por um momento. “Só um momento...” ele pensou, não era nada de mais, era só o mesmo desconforto de sempre. Desde que Charlie havia lhe contado as “novidades” Sam estava fazendo um esforço sobre-humano para manter-se calmo. Já era difícil demais olhar para o rosto de Charlie e ver toda a culpa que ele sentia, não precisava de sua pena.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

5

Promoção "Desenhando a História"

     Olá Leitores (desenhista) do meu coração!!
     Que tal uma promoção para alegrar a vida??? E dessa vez, a vantagem é seu nome nos créditos da obra!!!!!!

 
 
     Quem ai gosta de livros? E de desenhar? Por que não juntar os dois???
     Os desenhos deverão ser baseados na minha obra Sebastian que vocês já devem conhecer bem  ;)
     O vencedor terá seu desenho postado aqui no blog e  será convidado á criar as ilustrações da obra. O vencedor também terá seu nome acrescentado nos créditos do livro, menção nos agradecimentos e ganhará uma cópia impressa do livro Sebastian já com suas gravuras! Fala sério, só vantagem!!!!
     Para participar da promoção é muito facil!!!!
Regras:
  • Escolha entre os capitulos  1 , 2 , 3 , 4 , 5 , 6 ou 7 para ler e se inspirar;
  • Faça um desenho baseado na cena que você escolheu, que transmita toda a emoção da cena;
  •  O desenho deverá estar assinado pelo criador (medida de segurança);
  • O candidato poderá mandar quantos desenhos quiser;
  • Mande para o email  nat.jrrt@gmail.com com o assunto "Desenhando a História" e o dito desenho em anexo;
  • Coloque aqui embaixo nos comentários as palavras "Adeus Anonimato", seu email, nome de seguidor no facebook e está feito!!
 
Promoção valida até 30/11/2013
 
Corre gente!!!
     

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

1

Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos - Capitulo 2

     Olá Leitores!!!
     Não sei se o primeiro capitulo foi bem recebido, mas como eu fiquei de folga do serviço hoje, passei o dia escrevendo o segundo capitulo qie estou trazendo para vocês agora.
     Em primeiro lugar, eu sei que tem divergências da série e do livro. A fanfic é baseada, filhos, BASEADA, mas isso é uma fanfic, liberdade poética level hard. Essa é a minha visão da história, ou pelo menos uma que eu gostaria de ler por ai em alguma fanfic. Eu tenho lido muitas, é verdade, mas há sempre muita manipulação por parte de Hannibal, ele é tão mal para o Will, eu sempre tive muita dó dele, então eu queria escrever uma coisa onde Will tivesse seus momentos Angst sim, mas eu queria que Hannibal não fosse mal para ele. Eu gosto do Hannibal, e sempre tenho a tendência de gostar dos vilões das histórias, e sempre acabo imaginando um motivo de força maior que faz o vilão ser o  vilão, bem como o conseito de que no fundo, ninguem é tão mal assim. Gosto de imaginar que todo vilão tem algo que ama, que protege e que nunca machucaria. Nesse mundo maluco que eu tô tentando criar, é o Will.
       Bem, já me expliquei demais. Aproveitem o segundo Capitulo.
       PS -  alguem sabe de um bom site para postar fanfic?????


Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos
Capitulo 2


       Quando ele estacionara na frente do edifício, ele achou que talvez Alana tivesse lhe dado o endereço errado, pois aquela vizinhança não parecia ser o tipo de vizinhança na qual um estabelecimento como este funcionaria, mas quando bateu a porta, teve certeza de que estava no lugar certo. Will estava sentado na sala de espera. Não era tão ruim quanto estava esperando que fosse. O sofá era confortável e as paredes não estavam repletas de grafites ou fotos das milhares de tatuagens já feitas pelo artista como em um mural. Will não gostava disso. As fotos das pessoas, das partes tatuadas de seus corpos, ainda vermelhas e machucadas da recente agressão á pele lhe faziam lembrar das fotos tiradas dos cadáveres no necrotério e que eram constantemente mostradas á ele por Jack, e a intenção de Will em estar em um estúdio de tatuagem ás sete horas da noite numa sexta-feira depois de analisar uma cena de crime era exatamente esquecer de seu terrível trabalho. Invés de um mural da fama, haviam quadros com gravuras japonesas aparentemente antigas e caras, emolduradas e penduradas nas paredes da sala de espera. Na realidade, a maior parte da decoração era com tema oriental e Will imaginou se o tatuador não era japonês, mas lembrando-se do nome Hannibal Lecter, afastou essa ideia.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

3

Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos - Capitulo 1

      Olá Leitores!!!!!
      Eu sei, eu sei, vocês vão dizer "Nossa, uma Fanfic?!" sim, queridos, uma Fanfic. Como eu já disse aqui, concordo que Fanfics são um ótimo jeito de começar á escrever, para quem quer começar á ser escritor, vale a pena tentar. Eu começei com Fanfics quando eu nem sabia oque Fanfics eram, então nada mais justo.
       Bem, essa é uma Fanfic que eu estou escrevendo baseada em "Hannibal - a série" que passa na AXN . Estou dando nomes aos bois, por isso devo ressaltar que todos os personagens pertencem á Thomas Harris, bem como alguns spoilers de "Dragão Vermelho" (desculpa por isso).
      É algo bem experimental, espero que gostem. Se gostarem, postarei os demais capitulos logo.
      COMENTEM POR FAVOR!!!!!!!


Pesadelos Diurnos, Desenhos Noturnos
 
Capitulo 1


       Will Graham estava dentro de seu carro. Suas mãos estavam segurando o volante com força, embora o carro estivesse parado á pelo menos quinze minutos junto ao meio fio, longe da cena do crime uma distancia suficiente para não ser notado pelos demais. Will podia ver os policiais usando aquele uniforme comum andando para lá e para cá; seus “colegas” da perícia com seus coletes escrito Policia Forence e o que mais lhe causava desconforto: via o carro de Jack Crawford estacionado em frente á cena do crime.

       Ele apertou o volante mais forte, sentia que estava perdendo o controle outra vez. Estava ofegante, não conseguia respirar, tudo parecia ficar negro á sua volta e apertava o volante com força por que isso machucava, e a dor era real. Fechou os olhos, cerrando-os fortemente.

       - Eu sou Will Graham, estou em Baltimore, são duas e pouco da tarde, estou em meu carro. – Will recitava em voz alta o mantra que teoricamente deveria trazê-lo de volta á realidade. Isso pouco ajudava, mas pouco já é alguma coisa.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

4

"Boa Noite, Sam" - prefacio

     Olá Leitores!!
     Eu sei que estou relapsa com o blog, podem xingar. kkkk. Mas para me redimir, trago para vocês o prefacio que eu acabei de escrever de um livro em construção. É serio, acabei de escrever, mais novo do que isso impossível, e vocês meu leitores, podem ler em primeira mão o prefácio de "Boa noite, Sam."


Boa noite, Sam
Prefácio

      Maggie parou em frente á porta do quarto de Sam. Estava com a mão na maçaneta pronta para girar, mas não conseguia. Estava ali parada como que congelada. Ela sabia que ela tinha que abrir aquela porta e entrar, que ela tinha que vê-lo, abraçá-lo, beijá-lo. Ela sabia que ele deveria estar terrivelmente amedrontado, deveria estar com raiva, com medo, e que só ela podia confortá-lo. Maggie Brown sabia de tudo isso, mas mesmo assim, não conseguia entrar naquele quarto de hospital. Não assim. Ela não queria que ele a visse chorando, ela tinha que ser forte por ele agora.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

0

Sobre Fanficts

     Olá leitores!!!
     Eu sei que tenho estado um pouco ausente do blog, mas aproveitando minha folga hoje, irei postar algumas coisas aqui e no facebook.
     Esse post, no entanto, escrevo para compartilhar com vocês uma coisa que me ocorreu esses dias.
     Vocês sabem o que são Fanficts ? É o texto que um fan (claro) escreve como um conto baseando-se em um outro texto. Observem que não é plagio, é fanfict, uma vez que é dado nome aos bois. É o mesmo texto mas de uma outra visão.
     Vai me dizer que você nunca leu um texto, tipo "Os Três mosqueteiros" e pensou: Tipo, está bom, mas eu acho que ficaria legal se isso ou aquilo tivesse acontecido. O que acontece com as fanficts é que a pessoa vai e escreve a sua visão da história.
     Não vou negar que de começo, eu torcia o nariz para esse tipo de escrita, falo mesmo que achava que não passava de plagio, ou pseudo-escritores acabando com uma obra que já estava boa. Mas, como eu tenho a estranha mania de sempre dar uma segunda  chance as coisas que eu não gosto (tipo, não acredito em primeira impressão, mas na segunda, terceira, até na quarta impressão, pois só passei á amar Dom Casmurro na quarta vez que li) procurei por ai e encontrei algumas muito boas!!!
     Claro que nem tudo são flores no mundo das fanficts, tem umas que só por Jesus, mas tem algumas que são muito bem escritas, que parece que a pessoa encarnou o autor de verdade. Na minha opinião, as melhores são as do Hannibal (a série) e The Walking Dead, principalmente as que contam a história pelo ponto de vista do Daryl Dixon. É como procurar ouro em um rio. As vezes você só encontra pedras, as vezes você encontra ouro. Tem que sem paciente. kkkk
     Procurem, eu aconselho!!!

domingo, 18 de agosto de 2013

7

Stephenie Meyer Cagando na obra de Tolkien??

     Olá Leitores!!
     Nesta semana, me deparei com uma noticia na net, não sei se verídica ou não, no entanto, eu tive que me manifestar.
     A criatura iluminada, brilhante, ícone da literatura moderna, repleta de conhecimento e criatividade que é a Stephenie Meyer (desculpem, não pude evitar), imaginem só, escreveu em seu blog:
     “Eu me afasto (de Crepúsculo, entendam bem) a cada dia”, disse Meyer. “Já superei e muito. Para mim, não é um lugar feliz para estar.” Mas a entrevista continua:”O que eu poderia fazer é preparar três parágrafos no meu blog dizendo quais personagens morreram”. Mas não é só isso, não. A entrevista continua e ela acrescenta: " “Estou interessada em passar um tempo em outros universos, como a Terra-Média”. Fazendo referência ao universo criado pelo professor, mestre, pk das galáxias, badass J.R.R.Tolkien.
     Excuse me!!!!!!!!

terça-feira, 30 de julho de 2013

0

Dica de Filme - Olhar de Anjo

     Olá Leitores!!
     Quanto tempo faz que eu não posto uma dica de filme??? Uma eternidade.
     Bem, para compensá-los, hoje eu trago a dica de um filme muito bom, um dos meus preferidos, e creio que de muita gente também. "Olhar de anjo"

Olhar de AnjoFicha tecnica
 
Lançamento - (1h 42min)
Dirigido por - Luis Mandoki
Com - Jennifer Lopez, Jim Caviezel, Terrence Howard, Sônia Braga
Gênero - Suspense, Romance, Drama

Sinopse

      Sharon Pogue (Jennifer Lopez) é uma policial de Los Angeles que luta contra as pressões naturais de sua profissão e ainda o trauma de ter sido abusada na infância. Sua vida é alterada para sempre quando ela se vê em uma situação de quase morte e é salva por Catch (James Caviezel), um homem misterioso e sombrio.
     A curiosidade sobre o seu "anjo da guarda" só cresce, bem como o misterio de quem é Catch, pois ao mesmo tempo em que ele quer ficar perto dela, ele não deixa ela se aproximar demais, para que ela não descubra seu passado.

domingo, 28 de julho de 2013

0

Mudanças na obra

     Olá Leitores!!!
     Hoje eu venho aqui para dar uma notícia de ultima hora sobre meu livro "Sebastian", que muito me deixou triste, mas talvez essa mudança seja para melhor, quem sabe?
     Para evitar problemas, á partir de hoje, o personagem antes chamado Lucio se chamará agora Luigi. Já fiz a mudança lá no Clube de Autores e estarei mudando aos poucos nos capitulos do livro que eu já postei aqui.
       Como eu disse, é para evitar prolemas, e assim espero que entendem e não se confundam quando virem o nome Luigi na história.
        Belezinha??? Obrigado gente, vcs são demais!!!
     
     

domingo, 7 de julho de 2013

3

Sobre os personagens 1 - Chandler Desmont / Sebastian Tomazi

Olá Leitores, aqui vai um pouquinho sobre a obra "Sebastian"
O PERSONAGEM - Chandler é um garoto simples, timido, que tem sua vida virada de cabeça para baixo quando seu pai, Kevin, é brutalmente assassinado por Robert Murphy, o maior criminoso de uma cidade pequena. Não contente, Robert vende Chandler para um mafioso na Italia, onde passa a ser garoto de rua, comendo o pão que o diabo amassou. Ele troca seu nome para Sebastian, tornando-se amargo, rancoroso e frio. A unica coisa que o faz seguir em frente é a promessa feita a si mesmo, de que um dia voltaria a se encontrar com seu algoz, mais forte do que ele, mais poderoso do que ele. E antes que seu tempo terminasse, iria olhar para o corpo sem vida de Robert e iria sorrir.

terça-feira, 2 de julho de 2013

2

1 Ano de "Natalia de Oliveira escreve"

     Olá Leitores!!!
     Hoje, comemoramoramos o aniversario do blog, 1 aninho!!! eeeeeeeeeeeeeeeeee ;)

Durante esse ano, muita coisa aconteceu: Conheci pessoas incriveis, tanto os blogs parceiros como os seguidores, sem vocês nada disso teria valido á pena; criei a pagina do  Natalia de Oliveira Escreve no facebook; promovi sorteios; criei um grupo dedicado a divulgar blogs literarios como o meu e, graças a Deus, estamos crescendo.
     Tivemos varias mudanças de "cara" até esse resultado de hoje, e procurarei melhorar sempre, pois esse espaço não é só meu, mas de todas as pessoas que seguem, curtem, comentam, TODOS são extremamente importantes para mim.
     Esse blog é mais do que um passatempo para mim Através dele tento divulgar meus trabalhos como aspirante a escritora e salvo alguns comentarios maldosos de pessoas mal comidas tenho recebido muita força, incentivo e reconhecimento. MUITO OBRIGADA!!!!
     Espero continuar por aqui para fazer o post de dez anos do blog.
     Beijusss e Deus abençoe vocês!!

terça-feira, 18 de junho de 2013

10

É muito facil falar de "Manifestação"

     Olá Leitores!
     Nesses ultimos dias não se fala de outra coisa que não seja as manifestações no Brasil por causa dos benditos 20 cents dos busões de Sampa. Só pra constar, na minha tava 3,30 desde o começo do ano. Era só abrir o facebook e lá tinha um monte de gente postando o quanto estava á favor das manifestações, que temos mesmo que sair ás ruas e botar pra quebrar mesmo, que não estão nem ai se a FIFA vai cancelar a Copa aqui e por ai vai. Em vista de tudo isso, desculpe, mas eu tive que dar minha opinião á respeito.
     Primeiro devo ressaltar que essa é uma opinião minha, totalmente minha, você concorde ou não com ela, só acho que as pessoas não estão vendo a situação como um todo.
     Imaginem as seguintes situações hipotéticas:

quarta-feira, 12 de junho de 2013

6

A juventude, oh, a juventude!

     Olá Leitores!
     Tem coisas que realmente só acontecem com a minha pessoa. Sinceramente.
     Hoje no meu trabalho, que não tem nada haver com literatura, infelizmente, eu estava trocando ideia com uma das mais novas funcionarias de lá e de repente o tópico Livros surgiu em pauta. Imaginem só.
      O que citarei aqui são as palavras dela, colocarei aqui em forma de dialogo, para que entendam:

     - Eu tenho uma estante cheia de livros e já li "O Senhor dos Anéis" inteiro 3 vezes! - eu disse toda animada.
     - Jamais! - respondeu a Colega. - Eu não tenho paciência para ler livros, acho que nunca li um livro na vida. - ela disse indignada como se eu tivesse dito que faço parte de uma seita satânica.

terça-feira, 11 de junho de 2013

20

Como colocar um cabeçalho personalizado no seu blog com fundo transparente

     Olá Leitores!
     Hoje vou fugir um pouco do assunto literario de sempre, e atendendo á pedidos, darei algumas dicas de SEO.
     Queria dizer logo de começo que eu não sou nenhuma especialista, sou curiosa mesmo. Quando começei nesse mundo do blogger, penei para deixar esse cantinho com a minha cara, o que eu fiz foi simples, procurei por ai em tutoriais formas de mexer nesse bicho de sete cabeças, algumas outras coisas descobri por mim mesma, e olha que não sou nenhum exemplo de inteligência.
     Todo mundo que tem um blog gostaria de ter um layout que fosse a sua cara, certo? O problema é que o blogger não oferece muita coisa em termos de originalidade e quando voçê encontra um layout legal, ele é pago ou dificil de mexer. Para você que como eu é pobre, vou explicar como fazer para ter um cabeçalho personalizado com fundo transparente para o seu blog, e de um jeito muito facil de fazer!

domingo, 9 de junho de 2013

1

Dica de filme - "O Profissional"

     Olá Leitores lindos!!!
     Faz tempo que não dou nenhuma dica de filme, não é? Pois, como todo mundo sabe, vida de quem trabalha e chega as onze da noite em casa não é facil. kkkk. Mas para compensá-los, hoje preparei uma dica danada de boa!  "O Profissional".
    
     Sinopse

     Matilda (Natalie Portman) é uma garota problematica e revoltada com o pai ausente e criminoso, com a irmã obsecada por emagrecer e coma madrasta vadia. Tudo o que ela ama é seu irmãozinho. Ela acha que sua vida nunca vai mudar até que ela começa á prestar atenção ao seu misterioso visinho Leon (Jean Reno).
     Um dia, quando Matilda não estava em casa, seu pai que era ligado ao tráfico de drogas é visitado por Stansfield (Gary Oldman - uhuhuu adoro!)  que é um policial corrupto. Junto com mais policiais corruptos, Stansfield promove uma chassina, matando toda a familia de Matilda.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

1

"Sebastian" - Capitulo V - Mudanças no destino

Parte II
Capitulo V
"Mudanças no Destino"
 

         Sebastian quase não dormira aquela noite, pensando no que aqueles americanos lhe disseram e em todos os problemas que lhe corroíam a mente e quando conseguiu dormir, teve um sono agitado. Quando acordou de manhã não encontrou Eva a seu lado, ressabiado, levantou-se. De repente um sentimento muito desagradável e familiar tomou conta dele, aquele mesmo sentimento que teve quando seu pai, há muito tempo o deixou sozinho na cozinha de sua antiga casa para nunca mais voltar. Um aperto no seu coração que lhe dizia que algo estava terrivelmente errado.

       Saiu do quarto e começou a chamar por Eva sem obter resposta. Foi abrindo a porta de todos os quartos pelos quais passava, procurando-a, detendo-se então na porta do quarto de Angelo. Com cuidado abriu a porta e viu Eva lá, mexendo nos cabelos negros do filho que dormia profundamente e ao ver o marido ela sorriu. Parecia tudo bem, uma cena normal, mas seu coração sabia que havia algo errado.

       - Eva, está tudo bem? – perguntou preocupado entrando no quarto, pois via que a palidez havia voltado e seus olhos tinham olheiras roxas profundas.

       - Está. – respondeu baixinho.

       Ela estava sentada no chão ao lado da cama, com um ar estranho, meio apagado, como se a vida estivesse se esvaindo dela. Mas como? Ela parecia tão bem antes, tão disposta.

       - Angelo está bem?

       - Claro que está. Eu só queria ficar olhando para ele um pouco. – voltou a olhar para o garoto – Ele é tão bonito, espero que também seja feliz.

       - Ele será. – Sebastian não sabia se foi o jeito com que disse, mas isso de repente lhe pareceu uma despedida.

       - Me promete uma coisa? – disse ela de repente em tom muito sério que causou um calafrio em Sebastian.

       - Qualquer coisa. – sua mão suava.

       - Não fique triste. – essa frase foi como um punhal em seu coração.

       - Não ficar triste, por que diz isso?

       - Por que eu não quero que fique triste, quando chegar a minha hora.     

       - Pára com isso Eva. - disse aproximando-se dela e tocando-a, ela estava fria. – Eva, você tá fria. – ele a pegou no colo e com cuidado a levantou e a carregou nos braços através do quarto. - Vou chamar o Doutor Bennett, você vai ficar bem. – já saiam do quarto de Angelo e andavam pelo corredor em direção ao quarto deles.

       - Não. - disse ela em voz baixa. – Não quero. – disse fazendo Sebastian parar ainda com ela nos braços. – É a minha hora, tá tudo bem, sabíamos que esse dia chegaria.

       - Mas Eva. . . – seus olhos estavam marejados, ela não podia estar partindo assim – Não, não pode me deixar assim.

       - Não vou deixar você, eu vou estar sempre aqui. – ela tocou seu peito. Ele chorava copiosamente. Ela respirou fundo. – Eu não estou com medo. – sua feição era realmente de quem estava em paz – Me sinto tão leve. . .

       Foi a ultima coisa que ela disse. Um silêncio mortal pairou naquele corredor em que Sebastian ainda segurava Eva nos braços, ele não conseguia mais ouvir a respiração dela.

       - Eva. . . - Sebastian chamou sem resposta. – Eva. . . – insistiu, sabendo muito bem que não haveria resposta.

       Eva estava morta.

       Caíra de joelhos no chão, com Eva nos braços, chorando desesperado, abraçando-a como se isso pudesse manter seu espirito no corpo. Perdera aquela que amava, seu anjo havia voltado para o Criador.

       Chorava desesperado, a tristeza corroía ele por dentro. Levantou-se cambaleante, deixando Eva deitada no chão daquele corredor. Estava perdido, zonzo pelo impacto acontecido. Ouviu então passos subindo a escada e viu Luigi e Pietro vindo em sua direção. Eles tinham vindo, como sempre, para irem juntos para o vinhedo e tinham ouvido o choro desesperado de Sebastian lá da sala e subiram correndo aflitos e se depararam com essa cena: Sebastian chorando desesperado andando para lá e para cá e Eva no chão.

       - Ela morreu. . . - disse com dificuldade caindo de joelhos no chão outra vez – Ela morreu. . .

       Os irmãos se entreolharam chocados e se aproximaram dele. Luigi abraçou Sebastian e com a cabeça fez sinal para que Pietro verificasse se Eva estava mesmo morta, enquanto ele o levantava do chão e caminhava com ele para o quarto do casal.

       - Ela se foi, Luigi. . . – soluçava enquanto o irmão o abraçava tentando acalmá-lo.

       - Sebastian. . . eu. . .

       Logo depois, Pietro apareceu na porta do quarto e com a cabeça fez um sinal afirmativo, confirmando a triste realidade.

       - Eu sinto muito, Sebastian. – disse Luigi ao mesmo tempo em que o irmão se aproximava e colocava a mão no ombro de Sebastian, num gesto terno. Nunca mais nada seria o mesmo

 

       Dois meses haviam se passado desde a morte de Eva e nesse tempo, os gêmeos notavam um ar perturbador em Sebastian. Um ar meio desligado, meio sonâmbulo, estranho, como era aquele rapaz que Eva havia encontrado na frente de certa lanchonete, anos atrás. E naquele dia em especial esse ar desligado estava pior do que antes, pois o testamento de Eva havia sido lido naquela manhã, revelando Sebastian e Angelo sendo os herdeiros de uma grande fortuna. Eva era rica, isso se sabia, boa parte de seu dinheiro era fruto de seu próprio trabalho, em anos á frente do vinhedo. A outra parte, bem maior, era o que havia herdado de seus pais. Nunca soube o que fazer com tanto dinheiro, por isso deixou o parado em uma conta. Agora, inesperadamente Sebastian e Angelo eram milionários. Angelo não sabia ainda que sua mãe havia morrido. Como a criança de quatro anos que era, achava que Eva estava em alguma viagem misteriosa e com essa versão da historia ele ficaria até que tivesse idade para entender oque acontecera.

        Os irmãos Tomazi resolveram passar um tempo no casarão, para ajudar Sebastian a cuidar de Angelo e para animar o amigo que parecia estar entrando em depressão.

       Sebastian estava sentado num banco de madeira antiga mas boa, na varanda do casarão, sozinho, enrolado num cobertor. Aquele era um dia frio, afinal estavam no final do outono, logo chegaria o inverno e ventava muito por aqueles lados. Estava quieto, apenas olhando para o nada, pensando em varias coisas. Isso não era justo! Será que nunca seria feliz? Será que todas as pessoas que amava tinham que acabar sete palmos abaixo da terra? Não era justo!

       Os irmãos, juntamente com a babá de Angelo, observavam-no do lado de dentro através da janela de vidro da sala.

       - Ele está lá desde que o tabelião foi embora. – comentou a babá Sophia – Já fui lá duas vezes para perguntar se ele queria alguma coisa e ele só me ignorou, continuou calado, olhando pro nada. – seguiu-se um silêncio – Será que ele está bem?

       - É o que vamos descobrir. – Luigi disse caminhando através da sala em direção á porta, chamando a atenção de Pietro.

       - Ei, Luigi! – Pietro correu até ele, segurando-o pelo braço, interrompendo-o. – O que está fazendo?

       - Vou ver o que ele tem. – disse naturalmente confuso com a atitude do irmão.

       - Não parou para pensar que talvez ele precise de um momento sozinho? Dá uma folga, ele só está triste.

       - Você não reparou na cara dele? É a mesma cara que ele tinha quando. . .  – hesitou – E se ele estiver pensando em voltar a usar aquelas porcarias? E se já estiver usando?

       - Nós não conseguimos fazê-lo parar naquela época, o que o leva a pensar que conseguiríamos agora? – Pietro objetou.

       - Poderíamos tentar pelo menos. – disse sério – Agora ele tem uma vida, um filho, um futuro pela frente. Antes ele não tinha nada disso. – revoltava-se – Em respeito á memoria de Eva, não vou deixar que todo o trabalho que ela teve para endireitar esse filho da mãe vá pelo ralo. – afastou-se e ia em direção á porta outra vez.

       - Em respeito á memoria de Eva, vá mais devagar, irmão.  – Pietro jogou a indireta venenosa – Ainda estamos de luto, lembra?

       - O que? – virou-se ao ouvir a apunhalada – Se tem algo para dizer, irmão, diga logo. Eu estou farto das suas indiretas. – aproximou-se com ar visivelmente irritado.

       - Sabe muito bem oque eu quis dizer. – disse com sarcasmo, provocando-o.

       E Luigi realmente sabia, e isso lhe doía, no coração. Essa era sua única fraqueza e era triste ver que seu irmão o provocava desse jeito.

       - Eu tenho sim respeito por Eva, eu a admirava. Foi por causa dela que deixamos aquela vida horrível, e você sabe que eu nunca. . .  – hesitou – Ele é meu amigo.

       - Mas bem que você queria que isso fosse diferente. – Pietro disse direto dessa vez. – Acorda Luigi, isso não vai acontecer.

        Luigi lançou lhe um olhar de surpresa e desapontamento tão forte que fez Pietro se arrepender do que disse.

       - Vou fingir que você não disse isso. – disse sério e com a voz pesada – Tenho que cuidar de um amigo agora.

       Virou-se, respirou fundo para se controlar depois dessa conversa e voltou a caminhar na direção da porta de vidro da varanda. Pietro sentiu-se mal por ter dito aquelas coisas. Isso era um assunto apenas de Luigi, historia antiga, que não lhe dizia respeito. Odiava discutir com o irmão, então o seguiu.

       Do lado de fora os rapazes foram surpreendidos por um vento gelado, arrepiando lhes os pelinhos dos braços pois estavam só de camiseta. Devagar e com cuidado, aproximaram-se do banco em que Sebastian estava sentado, jazendo quieto como uma pedra.

       - Sebastian, - começou Luigi – vamos entrar, está frio, vai acabar pegando uma gripe se ficar aqui pegando esse vento. – o amigo continuava absorto em seus pensamentos.

       Ao ver que a coisa era realmente seria, Luigi sentou-se ao seu lado no banco.

       - Como você está? – ele perguntou colocando a mão em seu ombro.

       - Como acha que eu estou? – respondeu ríspido depois de tanto silêncio, deixando Luigi intimamente alegre por ter arrancado alguma reação do amigo, bruta que fosse.

       - Sebastian, você não pode deixar se abater assim. – tentava animá-lo. – Angelo ainda tem o pai, ele precisa de você. E você tem seus irmãos aqui, pode desabafar.

       Seguiu-se um momento de silêncio sepulcral entre os três naquela tarde fria. Sebastian parecia estar decidindo se ia falar ou não, deixando-os apreensivos, mas por fim respirou fundo e começou, sem ao menos levantar a cabeça para encará-los.

       - Eu fiquei aqui, esse tempo todo, pensando em tudo o que me aconteceu. – disse serio – Uma vez eu disse para Eva que nós mesmos fazíamos o nosso final. Ela por outro lado acreditava em destino, Deus, ou qualquer outro nome que queiram dar a isso. Sabem o que ele é? Eu vou dizer, não passa de uma criança sádica brincando com a gente como se fossemos soldadinhos de chumbo.  E eu estou cansado de esperar que ele se canse de mim ou que ele me faça justiça, enquanto arranca de mim as pessoas que eu amo.

       - Do que está falando? – Pietro perguntou desconfiado.

       - Eu tentei, eu juro que tentei não me perder, mas parecia sempre que tinha alguma coisa me puxando á isso. Eu lutei, tentei ser bom, talvez assim coisas boas viessem, mas não tem jeito. Parece que quanto mais eu tento me afastar dessa caminho, mais o destino me chuta. Ele quer que eu jogue o joguinho dele? Então eu vou jogar.

       - Como assim?

       - Robert Murphy. – disse por entre os dentes.

       Os irmãos se entreolharam assustados, conheciam a história de Sebastian e sabiam mais ainda que ele nunca tocava no nome dele daquele jeito, nem nos seus piores dias.

       - Eu prometi ao destino que voltaria a encontra-lo. Está na hora de cumprir minha promessa. – disse com sarcasmo.

       - Sebastian, você não tinha desistido desse historia de vingança? – Luigi perguntou olhando desconfiado para Pietro.

       - Tinha. – ele respondeu meio disperso - Ela que não desiste de mim. Vou voltar para minha terra, vou encontra-lo e vou fazer justiça. – disse determinado – Mas preciso da ajuda de vocês dois. – disse virando-se e encarando os irmãos – Me ajudarão?

       - Sim. – Pietro disse sem pensar. – é claro que vamos com você, irmão.

       - Mais do que ninguém a gente sabe o quanto você sofreu por causa dele. – disse Luigi serio. – Você tem certeza que é isso mesmo que quer? Uma vez começado, não tem volta.

       - Tenho. – disse enfático.

       - Então eu vou. – disse Luigi. – Mas o que tem em mente?

       - Vou destruí-lo. – disse muito calmo. – Quero que ele sofra. Quero que ele saiba o que “desespero” significa. Ele vai pagar por cada lagrima derramada, por cada noite não dormida, por cada gota de sangue que derramou do meu pai. Vou acabar com ele, e não vou ter piedade.

      Ele nunca o tinha visto assim com tanto ódio a sede de vingança cegando-o. Demonstrava uma parte dele que nunca tinha visto, diabolicamente astuta, perigosa, mas não lhe tiravam a razão. Sebastian era seu amigo, seu irmão, na época das ruas ele o ajudara de varias formas, pelas quais era grato até hoje. Não negaria esse favor ao amigo, pois sabia que faria o mesmo se os papéis se invertessem.

domingo, 2 de junho de 2013

1

500 seguidores! Obrigada!!!

Olá Leitores!! Esse post é muito especial para mim, pois é um marco no blog Natalia de Oliveira escreve. . .   o blog tem agora mais de 500 seguidores!

     Agradeço á todos os Leitores seguidores deste espaço, sem vocês esse numero não seria possivel. Espero estar fazendo um bom trabalho aqui e espero estar fazendo o post de 1000 seguidores o quanto antes!!!
     Valeu gente!!!!

sábado, 18 de maio de 2013

1

"O Padre e a Bruxa" capitulo 4

"O Padre e a Bruxa"
 capitulo 4
 

       Ethan acordava depois de uma noite um pouco mal dormida naquele sofá na casa paroquial de Igreja de São João, em Elder. O sofá não era tão confortável quanto Harolds dizia. Era uma manhã de quarta feira. Por um momento, antes que sua visão entrasse em foco, ficou meio confuso sobre onde estava, e demorou um pouco para que se lembrasse de que não estava mais em Seattle. Colocou-se sentado um momento, terminando de acordar. Ajoelhou-se no chão fez um sinal da cruz e fez uma prece: